Sexta-feira, 29 de Outubro de 2004
fada.jpg



*




i'm so tired of being here


Estou tão cansada de estar aqui


suppressed by all of my childish fears


Reprimida por todos os meus medos infantis


and if you have to leave


E se você tiver que ir


i wish that you would just leave


Eu desejo que você vá


because your presence still lingers here


Porque a sua presença ainda persiste aqui


and it won't leave me alone


E isso não vai me deixar sozinha


*


these wounds won't seem to heal


Essas feridas não vão cicatrizar


this pain is just too real


Essa dor é bem real


there's just too much that time cannot erase


Há muita coisa que o tempo não pode apagar


*


when you cried i'd wipe away all of your tears


Quando você chorasse eu ia limpar todas as suas lágrimas


when you'd scream i'd fight away all of your fears


Quando você gritasse eu lutaria contra todos os seus medos


and i've held your hand through all of these years


Eu seguraria a sua mão durante todos esses anos


but you still have all of me


Mas você ainda tem tudo de mim


*


you used to captivate me


Você me cativou


by your resonating light


Com sua vida ressonante


but now i'm bound by the life you left behind


Agora eu estou destinada à vida que você deixou para trás


your face it haunts my once pleasant dreams


Seu rosto freqüenta meus sonhos alegres


your voice it chased away all the sanity in me


Sua voz persegue toda a sanidade em mim


*


these wounds won't seem to heal


Essas feridas não vão cicatrizar


this pain is just too real


Essa dor é bem real


there's just too much that time cannot erase


Há muita coisa que o tempo não pode apagar


*


when you cried i'd wipe away all of your tears


Quando você chorasse eu ia limpar todas as suas lágrimas


when you'd scream i'd fight away all of your fears


Quando você gritasse eu lutaria contra todos os seus medos


and i've held your hand through all of these years


Eu seguraria a sua mão durante todos esses anos


but you still have all of me


Mas você ainda tem tudo de mim



*


i've tried so hard to tell myself that you're gone


Eu tenho tentado me conformar de que você não está mais aqui


and though you're still with me


Mas penso que você ainda está comigo


i've been alone all along


Eu tenho estado sozinha todo esse tempo






publicado por Lumife às 01:38 | link do post | comentar | ver comentários (5)

Quinta-feira, 28 de Outubro de 2004




publicado por Lumife às 01:30 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Quarta-feira, 27 de Outubro de 2004
amor5.jpg



.



Não amo a cor dos olhos


Amo o olhar


Não amo a brancura dos dentes


Amo o sorriso


Não amo o contorno dos lábios


Amo o beijo


Não amo o formato dos braços


Amo o abraço


Não amo o alongado dos dedos


Amo a carícia


Não amo as curvas das pernas


Amo o andar


Não amo o volume dos seios


Amo o aconchego


E que bom não seja isto uma escultura


Seja apenas um poema à-toa


Porque não amo um corpo


Amo uma pessoa.



.


(Moacyr Sacramento)



publicado por Lumife às 20:33 | link do post | comentar

Segunda-feira, 25 de Outubro de 2004
AstralBeauty11a.jpg



.



Eu tenho tanto pra lhe falar


Mas com palavras não sei dizer


como é grande


O meu amor por você


*


E não há nada pra comparar


Para poder lhe explicar


Como é grande o meu amor por você


*


Nem mesmo o céu


Nem mesmo o mar e o infinito


Não é maior que meu amor


Nem mais bonito


*


Me desespero a procurar


Alguma forma de lhe falar


Como é grande o meu amor por você


*


Nunca se esqueça nem um segundo


Que eu tenho amor maior do mundo


Como é grande o meu amor por você.



*



(Roberto Carlos/Erasmo Carlos)



publicado por Lumife às 18:52 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Sexta-feira, 22 de Outubro de 2004
Crepusculo_800.jpg



*



É quando um espelho, no quarto,


se enfastia;


quando a noite se destaca


da cortina;


quando a carne tem o travo


da saliva,


e a saliva sabe a carne


dissolvida;


quando a força de vontade


ressuscita;


quando o pé sobre o sapato


se equilibra...


e quando às sete da tarde


morre o dia


- que dentro de nossas almas


se ilumina,


com luz lívida, a palavra


despedida.




*


(David Mourão-Ferreira)



publicado por Lumife às 23:41 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Quarta-feira, 20 de Outubro de 2004
imagem-mulher-mar.jpg



.



Lembrei-me de teu beijo,


Do bem que ele me fez.


Lembrei-me dos teus lábios suaves


E da felicidade que foi beijar-te.


*


Lembrei-me do teu abraço,


Do afeto que me trouxe,


Do aconchego de estar contigo


E de uma vida vivida num instante.


*


Hoje lembrei-me do teu corpo,


Do calor que me transmite.


Lembrei-me também de tuas palavras


E da paz que elas me dão.


*


Lembrei-me que fui feliz,


E do quanto me tocas no peito,


Porém nunca é preciso lembrar


A falta que tu me fazes!



.


(Marcos W. Albuquerque)



publicado por Lumife às 20:03 | link do post | comentar

Sábado, 16 de Outubro de 2004
Holly_Hope_Banks_Morning-Reverie.jpgHolly Hope Banks (Morning Reverie)




.


Eu não te tenho amor simplesmente. A paixão


Em mim não é amor: filha, é adoração!


Nem se fala em voz baixa à imagem que se adora.


Quando da minha noite eu te contemplo, aurora,


E, estrela da manhã, um beijo teu perpassa


Em meus lábios, oh! quando essa infinita graça


do teu piedoso olhar me inunda, nesse instante


Eu sinto - virgem linda, inefável, radiante,


Envolta num clarão balsâmico da lua,


A minh'alma ajoelha, trémula, aos pés da tua!


adoro-te!... Não és só graciosa, és bondosa:


Além de bela és santa; além de estrela és rosa.


Bendito seja o Deus, bendita a Providência


Que deu o lírio ao monte e à tua alma a inocência,


o Deus que te criou, anjo, para eu te amar,


E fez do mesmo azul o céu e o teu olhar!...




.


(Guerra Junqueiro - 1850-1923)



publicado por Lumife às 17:36 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Quinta-feira, 14 de Outubro de 2004
Ewige-Liebe.gif



*


Te digo adiós si acaso te quiero todavía


Quizas no he de olvidarte... Pero te digo adiós


No se si me quisiste... No se si te quería


O tal vez nos quisimos demasiado los dos


*


Este cariño triste y apasionado y loco


Me lo sembré en el alma para quererte a tí.


No se si te amé mucho... No se si te amé poco


Pero si sé que nunca volveré a amar así.


*


Me queda tu sonrisa dormida en mi recuerdo


y el corazón me dice que no te olvidaré.


Pero al quedarme solo... Sabiendo que te pierdo,


Tal vez empiezo a amarte como jamás te amé.


*


Te digo adiós y acaso con esta despedida


Mi más hermoso sueño muere dentro de mí.


Pero te digo adiós para toda la vida,


Aunque toda la vida siga pensando en tí.



*


(José Angel Buesa)



publicado por Lumife às 01:20 | link do post | comentar | ver comentários (2)

Segunda-feira, 11 de Outubro de 2004
amor09.jpg



.




Pudesse eu não ter laços nem limites


Ó vida de mil faces transbordantes


Para poder responder aos teus convites


Suspensos na surpresa dos instantes!




.


Sophia de Mello Breyner Andresen



publicado por Lumife às 20:11 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Sábado, 9 de Outubro de 2004
oceanheart.gif



.



Traze-me um pouco das sombras serenas


que as nuvens transportam por cima do dia!


Um pouco de sombra, apenas,


- vê que nem te peço alegria.



*


Traze-me um pouco da alvura dos luares


que a noite sustenta no teu coração!


A alvura, apenas, dos ares:


- vê que nem te peço ilusão.



*


Traze-me um pouco da tua lembrança,


aroma perdido, saudade da flor!


- Vê que nem te digo - esperança!


- Vê que nem sequer sonho - amor!




.


(Cecìlia Meireles)



publicado por Lumife às 13:14 | link do post | comentar | ver comentários (2)

Quarta-feira, 6 de Outubro de 2004
@7.jpg



*



Tu me emprestas as estrelas


que permanecem acesas nos teus olhos


a qualquer hora, e enfeitas com flores os jardins secretos da minha alma,


pois conservas a primavera, em qualquer tempo, dentro de ti ...


Tu remendas com lascas de lua a vastidão do meu céu esfiapado de saudades,


desenhando templos de nuvens para


abrigar a deusa da esperança


que repousa ternamente no teu peito ,


pois aninhas meus desejos na tua alma


e conheces meus segredos como ninguém...


Tu me aqueces com manhãs de sol intenso,


despertando as manhãs com doces beijos,


pois derramas o teu brilho e o teu calor,


desmanchando os temporais,


acalmando os vendavais,


colorindo o arco-íris


que supera as sombras do horizonte,


depois das tempestades...


Tu és o verso que desfaz a dor,


és o carinho que se faz palavra,


és sentimento, és luz, és graça e cor,


és o bálsamo que cura a solidão,


és a voz que fala ao coração,


tu és, poeta, enfim,


o artífice do Amor.



*


(Mellís)


(Texto enviado pela Lisa)



publicado por Lumife às 00:02 | link do post | comentar | ver comentários (4)

Terça-feira, 5 de Outubro de 2004
sunsetlady.jpg



.



No teu amor por mim há uma rua que começa


Nem árvores nem casas existiam


antes que tu tivesses palavras


e todo eu fosse um coração para elas


Invento-te e o céu azula-se sobre esta


triste condição de ter de receber


dos choupos onde cantam


os impossíveis pássaros


a nova primavera


Tocam sinos e levantam voo


todos os cuidados


Ó meu amor nem minha mãe


tinha assim um regaço


como este dia tem


E eu chego e sento-me ao lado


da primavera



.



(Ruy Belo, Aquele Grande Rio Eufrates


Lisboa, Editorial Presença, 1996 (5ª ed.))



publicado por Lumife às 02:57 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Sexta-feira, 1 de Outubro de 2004
picgaltumbb9703.jpg



.



O amor antigo vive de si mesmo,


não de cultivo alheio ou de presença.


Nada exige, nem pede. Nada espera,


mas do destino vão nega a sentença.


.


O amor antigo tem raízes fundas,


feitas de sofrimento e de beleza.


Por aquelas mergulha no infinito,


e por estas suplanta a natureza.


.


Se em toda parte o tempo desmorona


aquilo que foi grande e deslumbrante,


o antigo amor, porém, nunca fenece


e a cada dia surge mais amante.


.


Mais ardente, mas pobre de esperança.


Mais triste? Não. Ele venceu a dor,


e resplandece no seu canto obscuro,


tanto mais velho quanto mais amor.



.




Carlos Drummond de Andrade (Amar se aprende amando)



publicado por Lumife às 13:49 | link do post | comentar | ver comentários (2)

Post recentes

8-ESPERO

7- BEBIDO O LUAR

6-QUE BOM SERIA...

5-EU NÃO VOLTAREI...

4-SEGREDO

3-A MINHA AMANTE

2-FUMO

1-NÃO ADORMEÇAS...

Ó meu saudoso olhar

...

...

...

...

...

...

Só mais uma vez...

...

...

...

...

Junho 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Agosto 2007

Outubro 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Novembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

blogs SAPO
subscrever feeds