Quarta-feira, 11 de Fevereiro de 2009

 

 

 

 

Bebido o luar, ébrios de horizontes,


Julgamos que viver era abraçar


O rumor dos pinhais, o azul dos montes


E todos os jardins verdes do mar.


Mas solitários somos e passamos,


Não são nossos os frutos nem as flores,


O céu e o mar apagam-se exteriores


E tornam-se os fantasmas que sonhamos.


.


Por que jardins que nós não colheremos,


Límpidos nas auroras a nascer,


Por que o céu e o mar se não seremos


Nunca os deuses capazes de os viver.

 

 

Sophia M. B. Andresen

 



publicado por Lumife às 21:17 | link do post | comentar

Post recentes

8-ESPERO

7- BEBIDO O LUAR

6-QUE BOM SERIA...

5-EU NÃO VOLTAREI...

4-SEGREDO

3-A MINHA AMANTE

2-FUMO

1-NÃO ADORMEÇAS...

Ó meu saudoso olhar

...

...

...

...

...

...

Só mais uma vez...

...

...

...

...

Junho 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Agosto 2007

Outubro 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Novembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

blogs SAPO
subscrever feeds